Arquivo mensal julho 2018

porsigeo

Prefeitura de Niterói apresenta Sigeo para Prefeitura de Salvador

18/07/2018 – A Prefeitura de Niterói apresentou, nesta quarta-feira (18), o seu recém-lançado Sistema de Gestão de Geoinformação (SIGEO) para uma equipe da Prefeitura de Salvador. No ar desde maio, a plataforma de gestão do território e de integração de processos e de pessoas através de informações georreferenciadas reúne informação das secretarias municipais. De perto, os baianos conheceram as possibilidades que o sistema oferece.

O projeto do Sigeo teve início em 2014, com a aquisição de ortofotos e do perfilamento a laser. Através da plataforma, interessados em abrir uma empresa ou estabelecimento comercial em determinado bairro, passam a ter, por exemplo, acesso a informações como quantas empresas existem naquele local, a renda da população, entre outras.

O sistema está vinculado à Secretaria Executiva. O titular da pasta, secretário Axel Grael, apresentou a plataforma aos representantes de Salvador, acompanhado da equipe técnica do portal.

“Os desdobramentos úteis que Sigeo oferece para a população são muito grandes, isso chama a atenção de outras cidades. Nossa expectativa é de estabelecer um intercâmbio de experiências com Salvador, que tem uma gestão municipal reconhecida pelas políticas públicas, inclusive na área ambiental, o que nos interessa bastante”, comentou.

Diretora da Fundação Mário Leal Ferreira, instituição responsável pelo planejamento urbano do município de Salvador, Beatriz Cerqueira Lima explicou que os municípios devem estabelecer parceria para troca de informações.

“Ficamos sabendo, há uns dois meses, do lançamento do Sigeo e nos interessamos em conhecer de perto o funcionamento do sistema. O que nos encantou no processo é a informação com o processo de administração, gestão da informação e elaboração de políticas públicas. Nossa expectativa é de tecermos uma colaboração entre as duas cidades”, disse.

A implantação da plataforma, criada pela empresa Imagem, representou um investimento de R$ 5 milhões, financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).